primeiras impressões sobre o KDE 4

O KDE4 foi lançado dia 11, então já tá cheio dessas análises em milhões de blogs. Antes de iniciar a minha análise (nada profundo, só impressões, mesmo), quero deixar claro que não li nenhuma dessas análises (análises, análises, análises – êh azaghâl), para evitar fazer cópia dos outros (pode ser que eu dê algumas caneladas, vou corrigindo à medida que for encontrando).
Acabei de instalar o KDE4 no Ubuntu Gutsy aqui do laboratório (usei esse tutorial), e estou (tentando) escrever este post no Konqueror. Então, vamos lá:
* a primeira coisa que eu vi, obviamente, foi o Desktop e a barra de tarefas (essa poderia ter sido bem mais original… Além do que, não consegui mudar p**** nenhuma nela). Senti falta de um botão “mostrar Desktop”, embora múltiplas áreas de trabalho façam bem esse papel. Três coisas me chamaram mais atenção: 1) a notificação de novos dispositivos foi pra bandeja, e não aparece mais no Desktop, o que ajudou a deixar mais limpa a Área de Trabalho. 2) quando o mouse passa sobre um ícone, aparece tipo um minimenu de lado, com as opções de mostrar as propriedades, recarregar e excluir, o que economiza muitos cliques com o botão direito. 3) o menu K, organizado em categorias e com uma barra de pesquisa bem eficiente e rápida pelos programas do menu. Além disso, vale citar o relógio gigantesco e a possibilidade de colocar widgets no Desktop com apenas um clique.
* na questão navegador web, achei que o konqueror continua esquisito. Senti falta do sistema de busca no google (correção 1: o KTip [sistema de dicas que aparece na inicialização do KDE] me “disse” que pode-se digitar o prefixo ‘google:’ [sem as aspas] para ir buscar o termo digitado na barra de endereço). O editor do WordPress tá todo desconfigurado. Pra tirar as dúvidas, fiz a verificação do teste acid2 aqui: perfeito, carinha sorridente! Só lembrando que nem o Firefox2, muito menos o IEca passam nesse teste. Mesmo assim, acho que a interpretação do código dinâmico tá esquisita (pelo menos no wordpress… Eu tou colocando os links “na mão” e o google pages entrou em loop infinito). Olhando o Firefox, ficou horrível: feio e lento.
* O Dolphin: muito legal, ele pode ficar tão limpo ou poluído quanto o usuário quiser (clique nas fotos para ampliar):
Dolphin Polu�do Configuração legal
Tem os recursos normais de um gerenciador de arquivos decente: espaço livre, preview, número de itens em um diretório, etc. O que eu achei legal também é que o usuário pode classificar os arquivos e pastas com estrelas, atribuir tags e comentários. Se você criou uma pasta e não quer abrir toda vez pra ver o que tem dentro (eu, por exemplo, crio várias pastas com datas ou com meu nome, ou parte dele), pode colocar um comentário e tags pra marcar o conteúdo das pastas.
* o editor de configurações do sistema ficou mais limpo do que o kcontrol. Me senti mais confortável ao utilizá-lo.

Conclusão: Depois de mais ou menos duas horas fuçando (obti todas as conclusão fuçando mesmo, sem recorrer a nenhum site), cheguei à conclusão de que o KDE 4.1 vai ter bastante coisa pra corrigir, e que vai tomar espaço do gnome. Por enquanto, vou voltar ao gnome pra estudar mais um pouco de ruby.

Link: site oficial do KDE: http://www.kde.org/

PS: sobre o tópico aí d baixo, o Qi, do nome da empresa da doidona, é aquele mesmo do Goku, Gohan, Kuririn, etc.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s