ruby on rails 2.0 iniciando um projeto

Voltando a falar do Rails…..

Vou iniciar de novo um projeto de controle de fluxo de alunos no laboratório, usando como base os tutoriais presentes no Terminally Incoherent e no Akita on Rails. Então, vamos lá:

Depois de instalar o ruby, as gemas e o rails (veja aqui como fazer isso), vamos criar o projeto (Nota: é ainda mais fácil do que com o rails 1.2).

criando o projeto e o banco de dados

1. Não mudou nada em relação a criar o projeto. É só digitar (lembrando que o nome do projeto é relatorio):

rails relatorio

[editado]
para definir o mysql como banco de dados do projeto, pode-se colocar a opção

-d mysql

logo após o nome do projeto. No nosso caso, ficaria assim

rails relatorio -d mysql

[/editado]

2. Agora, sim, mudanças… Editar o arquivo config/database.yml, dentro da pasta do projeto (O Rails mudou o SGBD padrão para o SQLite3, então, vamos ter que modificar realmente o arquivo de definição de banco de dados para usá-lo com MySQL, que agora é da Sun). O meu arquivo ficou assim:

defaults: &defaults

  adapter: mysql

  encoding: utf8

  username: root

  password:

  socket: /var/run/mysqld/mysqld.sockdevelopment:

  database: sits_development

  <<: *defaults

test:

  database: sits_test

  <<: *defaults

production:

  database: sits_production

  <<: *defaults

Uma coisa que eu achei legal foi a parada do “defaults”. Dá pra definir os parâmetros que são iguais para os três bancos e utilizá-los nas outras definições do arquivo, só chamando um “atalho” para a definição dos defaults.

Depois de editado o arquivo de configuração, vamos criar os bancos de dados. Prepare-se, esta é uma etapa muito complicada, que envolve códigos SQL extremamente complexos. Muito cuidado, digite no terminal, dentro da pasta do projeto:

rake db:create:all

Ué, cadê o SQL extremamente complicado? Foi pro espaço (O final do parágrafo anterior foi só pra assustar… :p). Se você estiver duvidando, abra o mysql da forma que desejar e veja que os bancos de dados foram realmente criados.

criando o scaffold e as tabelas

Vamos agora, criar as tabelas para o banco de dados. Aqui, vou criar a tabela de alunos, já que é a mais simples do nosso projeto. Esqueça o SQL, os campos serão criados dentro do script de scaffold, da seguinte forma:

script/generate scaffold Aluno cpf:string nome:string curso:string

Agora, geramos o banco de dados utilizando o comando

rake db:migrate

Se você quiser olhar no mysql, verá que a tabela alunos foi realmente criada. Tudo isso sem uma única linha sequer de SQL. Legal, né?

Criando uma rota para a página principal

Para criar uma rota, é só editar o arquivo config/routes.rb. Por enquanto, vamos definir a página de cadastro de alunos (que já foi criada automaticamente pelo scaffold) como sendo a principal. Precisamos apenas incluir a linha

  map.root :controller => 'alunos'

logo abaixo de

ActionController::Routing::Routes.draw do |map|

Agora, depois de salvar o arquivo, deletamos a página public/index.html (Essa página é aquela que diz “Welcome Aboard”).

Pra ver o resultado, iniciamos o server com o comando

script/server

e verificar a aplicação no endereço localhost:3000 dentro do navegador.

2 ideias sobre “ruby on rails 2.0 iniciando um projeto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s